Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade combate desmatamento em Caxias

Operação desta terça reprimiu supressão de vegetação ilegal, em Jardim Gramacho

A Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade, por meio da Superintendência Integrada de Combate aos Crimes Ambientais, realizou operação de grande porte, nesta terça-feira (17/9), para coibir desmatamento, em Duque de Caxias, em área equivalente a 12 campos de futebol de Mata Atlântica.

Como parte da terceira edição da Operação Mata Atlântica em Pé, promovida pelo Ministério Público, a ação de fiscalização contou com o apoio do Instituto Estadual do Ambiente e do 15º Batalhão da Polícia Militar. Ao todo, foram 70 agentes envolvidos.

A fiscalização ocorreu no bairro de Jardim Gramacho, onde foram vistoriados dois pontos identificados por alertas do projeto Olho no Verde, programa de monitoramento das florestas, via satélite. Os agentes flagraram supressão de vegetação ilegal, em área próxima a manguezal, e prática irregular de aterramento.

Como saldo, quatro máquinas foram apreendidas, que eram usadas no aterramento do mangue, e notificações foram emitidas aos responsáveis identificados.

Mata Atlântica em Pé

No Rio de Janeiro, serão vistoriados 21 alertas, sendo 14 de monitoramento realizado pelo projeto Olho no Verde, desenvolvido pelas SEAS, e sete do SOS Mata Atlântica. A força-tarefa vai verificar desmatamento identificado pelos alertas em polígonos que somam 37,10 hectares do bioma, o equivalente a mais de 37 campos de futebol. São 11 equipes em campo para vistoriar os locais ao longo da semana.

Coibir o desmatamento e proteger as regiões de floresta que integram a Mata Atlântica. Este é o objetivo da terceira edição da Operação Mata Atlântica em Pé, promovida pelo Ministério Público, que começou na segunda (16/9) e vai até sexta-feira em 17 estados brasileiros. No estado do Rio de Janeiro, a ação é operacionalizada pela Secretaria de Estado do Ambiente e Sustentabilidade (SEAS), Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e Comando de Polícia Ambiental da Polícia Militar (CPAm).

Olho no Verde

O Olho no Verde tem como objetivo o combate ao desmatamento por meio da incorporação da tecnologia do imageamento por satélite e de processamento de dados espaciais. O programa, capaz de identificar supressão ilegal de vegetação a partir de 200 metros quadrados, usa imagens de satélite com 50 centímetros de resolução, detecta a mudança de tons em áreas verdes e aponta a degradação sofrida na região. Ao identificar o desmatamento, alertas são emitidos para as equipes de fiscalização estaduais por meio de plataforma online.

inea.rj.gov.br